sexta-feira, 16 de julho de 2010

Tenho que rir.

Acabei de receber um telefonema do  "anjo da guarda" e fiquei me perguntando: O que aconteceu comigo?

Ontem, um "ex pseudoamordaminha vida" fez aniversário e sempre envio email, telefono, faço aquela cortesia de praxe. Mas ontem foi totalmente diferente. Enviei email, desejei felicidades e em nenhum momento eu fiquei vasculhando o email para ver se ele havia respondido. Prá minha surpresa (não me surpreendo com nada), tem a resposta do "ex peseudoamordaminha vida" e aquele blá blá blácomo resposta. Nada criativo. O de sempre.

Em tempos passado eu teria lido aquele email 1234567777898898 vezes e tentando diante das frases ver uma brecha para quem saber acontecer o bendito retorno de jedai. Mas, como estou sã (ou penso que estou) não fiz nada, simplesmente li, sorri e deletei o email para não ter mais um email inútil na minha caixa.

Não entendi nada. Não senti saudades. Não fiquei triste. Não fiquei com lamúrias. Não reclamei. Não quis ter flashback. O que aconteceu comigo? Melhor, o que está acontecendo? Achei muito esquisito não sentir nada. Senti-me gelada, fria, sem maiores emoções.

Retomando ao que escrevi lá no início, eu também não senti absolutamente nada quando o "anjo da guarda" ligou. Sei que tivemos um casinho no passado (casinho que eu fiquei teimando para termos), porque no fundo ele sempre foi o "anjo da guarda". Até agora não entendi bem o telefonema dele, mas não estou nem aí para entender. O que eu queria entender é a minha reação. Conversarmos, jogamos papo furado, ele falou dos filhos, do trabalho, e sem querer nos esbarramos no quesito: relacionamento. Quando dei por mim eu estava dando (ainda não dei),  digamos que alguns toques para ele sair da timidez e ter atitude e não deixar a oportunidade de ser feliz com alguém porcausa de nada nessa vida. Não sou eu a oportunidade, mas quem sabe alguém que ele esteja de olho. Francamente, até agora não entendo a minha reação. Não chorei. Não senti saudades dos tempos outrora. Não lamentei. Não reclamei. Simplesmente, gostaria de vê-lo feliz com alguém bem especial.

Será que estou crescendo e aina não percebi? Ou fiquei maluca de vez?

Preciso urgentemente procurar o Dr. Handel.

Nenhum comentário:

Postar um comentário